As vantagens na migração de redes para SD-WAN

A empresa Pinpoint, organização especialista em redes e segurança, mostra as vantagens de se migrar de uma rede Multiprotocol Label Switching (MPLS) para uma Software Defined-Wide Area Network (SD-WAN). Essa rede promete a máxima disponibilidade de links, se destacando entre os negócios digitais em se tratando de performance, conectividade e segurança. 

O SD-WAN é controlado por uma estrutura de software centralizada, ou seja, quando há automatização do controle de redundância de links de dados. Entre as melhorias disponibilizadas pela rede se destaca o alto desempenho e o custo atrativo, sabendo que a capacidade de banda larga é melhor, mais flexível na hora de usar a internet. Se torna então a melhor opção para organizações que geram grandes volumes de dados sigilosos. 

Sobre a pesquisa, segundo site tiinside

Um estudo realizado com 10 empresas, entre clientes e não clientes da Pinpoint, envolvendo diversas verticais de negócios e regiões do Brasil, analisou o desempenho de 400 links MPLS e 700 links IP/Internet ao longo de seis meses. O objetivo foi entender qual é o impacto e as vantagens da migração de tecnologias de redes. 

A Pinpoint comparou uma estrutura com um link MPLS contra uma de dois links IP, rodando sobre uma estrutura SD-WAN (fabricantes padrões de mercado). 

O resultado mostra que a disponibilidade foi semelhante, mas a dedicação da Central de Operações de Rede (NOC), é um ponto importante a ser considerado em alguns casos. Isso demonstra que nem sempre adianta fechar pacotes padrão com operadoras, por exemplo, sem dimensionar equipe e considerar a terceirização como opção muitas vezes mais vantajosa. 

Os pontos mais relevantes do estudo:

A disponibilidade entre os dois modelos (1 MPLS versus 2 links IP/Internet em redundância) foi superior a 99,5%, variando mês a mês, estatisticamente, o melhor desempenho.  

Houve um desvio considerável no número de eventos de quedas por link, quase três vezes o indicador para links MPLS. 

Essa diferença na quantidade de eventos acontece porque, no caso da rede por IP, trabalha-se com mais de um link redundante. Ao passo que, no caso da MPLS, utiliza-se um link dedicado. De qualquer forma, isso não impactou consideravelmente na disponibilidade dos sites por causa do sistema/protocolo de redundância presente nos equipamentos de SD-WAN. 

O MTTR, tempo médio de cada indisponibilidade de link, apresentou grande diferença entre os links IP e MPLS. Na rede MPLS, foi de 173 minutos enquanto nos links IP/Internet foi de 341 minutos, ou seja, praticamente o dobro. 

Essa diferença na quantidade dos eventos e MTTR impactou diretamente no time de operações e sustentação dos ambientes. Por isso, houve maior esforço de analistas de NOC. Novamente, isso se deu pelo fato de na rede SD-WAN se trabalhar com mais de um link redundante. 

Assim, é possível verificar que a disponibilidade entre os dois modelos é comparável. Para se atender um SLA mais agressivo em redes SD-WAN, como o conseguido com dois links MPLS redundantes, a recomendação é fazer uma busca por operadoras que entreguem em cada localidade um link de melhor qualidade (o que precisa ser analisado site a site e executado um processo contínuo de análise de qualidade), ou até mesmo trabalhar com três links IP/Internet independentes. 

Por outro lado, a carga de trabalho do time do NOC até aqui mostrou-se um ponto importante a ser considerado nos planos de ROI (retorno de investimento) e OPEX (custo operacional) da rede. Se não levados claramente em consideração dentro do orçamento, podem gerar sobrecarga nas atividades do NOC. Com a escassez de analistas de TI e salários inflacionados, este aparece como um ponto crítico na análise de escolha da operadora e modelo de operação da rede. 

Critérios

Foram definidos dois critérios principais para delimitar o estudo: 

Apenas ambientes em que a gestão dos equipamentos SD-WAN não tenha sido terceirizada com a mesma operadora de Telecom fornecedora dos links. 

E, com relação à disponibilidade e impacto na operação, não consideramos eventos com duração inferior a 5 minutos (considerada aqui como “flap”). Estes casos de “flaps”, juntamente com análises de performance (tempo de resposta e jitter) serão ponderados em um próximo estudo de caso. 

“Os achados mostram que o SD-WAN, quando implantado e administrado por profissionais especializados, é custo efetivo e permite muito mais do que a aparentemente resolutiva alta disponibilidade, mas uma operação mais equilibrada e preparada para os desafios do dia a dia”, finaliza Araújo. 

Fale com um Especialista

SOLICITAR CONTATO